Nova Zelândia: conheça o país que zerou as internações por Covid-19
junho 12, 2020
Passeios virtuais com o Google Arts & Culture
Passeios virtuais com o Google Arts & Culture
junho 16, 2020
Exibir tudo

Brotas retoma turismo de aventura com capacidade reduzida

Brotas retoma turismo de aventura com capacidade reduzida

A partir de 1º de junho, atividades turísticas voltam com 50% da capacidade

 

A cidade de Brotas (SP) vai retomar as atividades de turismo de aventura a partir de 1° de junho, mas com apenas 50% da capacidade. A retomada consciente segue o plano de restabelecimento gradativo do governo do estado.

As secretarias de Turismo e de Saúde do município e Abrotur (Associação das Empresas de Turismo de Brotas), formataram protocolo sanitário para a operação das atrações de aventuras, como rafting, boia cross e tirolesa.

De acordo com o documento, os proprietários de parques e operadoras serão responsáveis pela adoção das medidas sanitárias restritivas para assegurar a redução dos riscos de contaminação pelo novo coronavírus.

O rafting é uma das atrações que estão no protocolo sanitário da secretarias de Turismo e de Saúde do município e Abrotur.

Entre as normas está a sinalização adequada nas trilhas, sanitários e outras instalações sobre as práticas de higienização.

Funcionários deverão usar luvas de látex, máscaras e viseiras. Higienizadores líquidos devem ser instalados em diversos pontos dos parques para a limpeza de superfícies e também para uso do público.

Também há recomendações específicas para os turistas. Nas atividades aquáticas, deve ser respeitada a distância de três metros entre cada pessoa.

Antes de entrar no transporte, o visitante passa por uma entrevista sobre a existência de qualquer sintoma relacionado à covid-19 e tem a temperatura corporal aferida.

O uso da máscara será obrigatório no transporte e nas atividades, exceto nas aquáticas.

Capacidade reduzida

Todos os estabelecimentos terão atendimento reduzido em 50% da capacidade. A medida, inclui, além das operadoras de turismo de aventura, ecoparques, hotéis, pousadas, bares e restaurantes.

No rafting, por exemplo, botes de 13 pés poderão ser ocupados, no máximo, por seis pessoas para manter o distanciamento seguro nas descidas.

Algumas manobras conhecidas para a diversão dos turistas como a “brincadeira do remo”, “escorrega” e “surf” estão suspensas provisoriamente por exigirem a aproximação dos participantes e troca de equipamentos.

 

Fonte: Catraca Livre

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *