Conheça a cidade medieval de Carcassonne, na França
11 de setembro de 2019
10 dicas de livros para quem gosta de viajar
8 de outubro de 2019
Exibir tudo

Nova Zelândia proíbe turistas de nadarem com golfinhos

O governo da Nova Zelândia está proibindo os turistas de nadarem com golfinhos na Baía das Ilhas.

Esta é apenas uma das várias novas proteções anunciadas pelo Departamento de Conservação do país para tentar salvar as espécies.

De acordo com o departamento de conservação, uma pesquisa mostrou que os seres humanos estavam “amando demais os golfinhos” e a interação humana estava “tendo um impacto significativo no comportamento de descanso e alimentação da população”.

A proibição de nadar com golfinhos se aplica aos operadores turísticos da região da Baía das Ilhas da Ilha Norte. O lugar é popular entre os turistas por seu clima quente e praias douradas.

Além da proibição de nadar com golfinhos, as restrições exigem que os operadores restrinjam o tempo de visualização, de manhã ou à tarde, e interação a um máximo de 20 minutos por viagem e limitem os locais para essas atividades.

Um estudo, publicado na Endangered Species Research em 2010 descobriu que nadar muito perto e/ou tocar golfinhos é extremamente estressante para os animais. Inclusive isto pode causar problemas psicológicos que os impedem de descansar, alimentar e nutrir seus filhotes.

Uma pesquisa encontrou uma taxa de mortalidade de filhote de golfinhos de 75% nas populações locais na Nova Zelândia. Dizem que esse não é apenas a mais alta taxa registrada no país, mas a mais alta registrada internacionalmente.

Além disso, o número de golfinhos na Baía das Ilhas diminuiu drasticamente (66%) desde 1999 – agora há um grupo principal de apenas 19 indivíduos que visitam frequentemente as ilhas. As operadoras de turismo levantaram preocupações sobre o impacto que a nova proibição terá sobre o número de turistas. Entretanto, ainda é possível nadar com golfinhos em passeios realizados na Ilha Sul.

 

Fonte: Go Outside

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *